Início

A partir de 1 de março novo horário de funcionamento:

O Serviço de Pergaminhos

Segunda-feira quarta-feira, Sexta e Sábado:
8h30 – 13h30

Terça-feira e quinta-feira:
8h30 – 17h30

julho e agosto

De segunda a sábado: 8h30 – 13h30

 

O novo Dicastério para o Serviço da Caridade, também chamado de Esmolaria Apostólica, é uma expressão especial da misericórdia e, partindo da opção pelos pobres, os vulneráveis e os excluídos, para os quais exerce em qualquer parte do mundo a obra de assistência e ajuda em nome do Romano Pontífice, que em casos de particular indigência ou outra necessidade, dispõe pessoalmente as ajudas a serem destinadas.

O Dicastério, guiado pelo Esmoleiro de Sua Santidade, concretiza, através de sua atividade, a solicitude e a proximidade do Papa, como Pastor da Igreja universal, para com aqueles que vivem em situações de indigência, marginalização ou pobreza, assim como em tempos de graves calamidades.
O Dicastério é competente para receber, buscar e solicitar livres doações destinadas às obras de caridade realizadas pelo Santo Padre para os mais necessitados.
O Esmoleiro de Sua Santidade tem também o poder de conceder a Bênção Apostólica por meio de diplomas devidamente autenticados em papel pergaminho, e todos os rendimentos são destinados à caridade.
Entre suas tarefas, o Esmoleiro também tem a tarefa de utilizar a conta de caridade do Santo Padre e, de acordo com a lógica do Evangelho, ajudar o próximo que se encontra em grande dificuldade.
O Papa Francisco frequentemente diz que a Igreja é como um “Hospital de Campo”, por isso o novo Dicastério é seu Pronto Socorro, um braço caridoso e misericordioso que deve prontamente curar as feridas e apoiar os infelizes!


A Esmolaria Apostólica é o departamento da Santa Sé que tem a tarefa de praticar a caridade para com os pobres em nome do Sumo Pontífice.
Esta prática remonta aos primeiros séculos da Igreja e fazia parte das competências diretas dos Diáconos. Sucessivamente tal encargo foi exercido por um ou mais familiares dos Sumos Pontífices, sem uma particular dignidade hierárquica ou prelatícia; esta ser-lhe-ia conferida mais tarde. Numa Bula de Inocêncio III (1198-1216), fala-se do Esmoler como cargo já existente.

O primeiro Papa que organizou a Esmolaria Apostólica foi o Beato Gregório X (1271-1276), que estabeleceu as competências do Esmoler. Também Alexandre V, com uma Bula de 1409, regulamentou as praxes e normas da Esmolaria, cuja atividade sempre pôde realizar graças às contínuas solicitudes dos Romanos Pontífices. O Esmoler de Sua Santidade possui a dignidade de Arcebispo, pertence à Família Pontifícia e, como tal, toma parte nas celebrações litúrgicas e audiências oficiais do Santo Padre.

O Papa Leão XIII, com o objetivo de favorecer a recolha de fundos para as obras de caridade confiadas à Esmolaria, delegou no Esmoler a faculdade de conceder a Bênção Apostólica por meio de diplomas em pergaminho, os quais devem, para ser autênticos, ter a assinatura do próprio Esmoler e o timbre a seco do seu Departamento.

A propósito, é preciso assinalar que os custos indicados para a concessão da Bênção Papal referem-se unicamente ao diploma, aos gastos com a sua preparação e expedição e a uma contribuição para a caridade do Papa

Todas as entradas que chegam à Esmolaria Apostólica, sobretudo como ofertas para a concessão dos diplomas com a Bênção, são inteiramente vertidas para a caridade que este Departamento pratica, diretamente, para com os indigentes que todos os dias, nas suas necessidades, estendem a mão para o Sucessor de Pedro.

No Results Found

The page you requested could not be found. Try refining your search, or use the navigation above to locate the post.